M. o Maldito no país do futebol

Por Flávia Nascimento* (UNESP)

[Este artigo saiu originalmente no jornal O Estado de São Paulo – edição de 08/04/2010 –, nas verões impressa e digital. Tendo em vista adequação de espaço, os editores do Estado publicaram versão menos extensa, mas que preservou as linhas fortes e essenciais do texto. Reproduzimos agora neste blog, com autorização da autora,  a verão original]

Acompanhei bem o caso Nardoni, desde o início. No domingo, 28 de março de 2010, após o término do julgamento, ao acessar o blog de Marcos Guterman (em O Estado de São Paulo), foi a primeira vez que me deparei com um artigo que realmente toca em alguns dos gravíssimos problemas da sociedade brasileira que vieram à tona com o horrível fait divers conhecido como “o caso Isabella”. A análise de Guterman acerta em cheio: sim, havia traços de fascismo no comportamento da turba ensandecida que se excitava com o sangue da menina assassinada desde a noite de sua morte, há cerca de dois anos, e que, durante toda a semana passada, esteve agrupada diante do prédio onde se reunia o tribunal do júri para pedir mais: vingança. Gostaria de acrescentar às reflexões desse jornalista algumas outras considerações. (mais…)

Anúncios

Grande mídia organiza campanha contra candidatura de Dilma

Por Bia Barbosa (Publicado originalmente no site Carta Maior)

Se algum estudante ou profissional de comunicação desavisado pagou os R$ 500,00 que custavam a inscrição do 1º Fórum Democracia e Liberdade de Expressão, organizado pelo Instituto Millenium, acreditando que os debates no evento girariam em torno das reais ameaças a esses direitos fundamentais, pode ter se surpreendido com a verdadeira aula sobre como organizar uma campanha política que foi dada pelos representantes dos grandes veículos de comunicação nesta segunda-feira, em São Paulo. (mais…)

Imaginando que sua réplica não chegaria às páginas de resposta do Estadão, o autor autorizou a publicação por aqui. O artigo a que ele se refere, “Índices de produtividade”, foi publicado no jornal O Estado de S. Paulo nesta segunda-feira, escrito por Denis Lerrer Rosenfield, criticando a reivindicação do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) de reajuste desses índices com relação ao agronegócio, tendo em vista que a partir deles se define a improdutividade de terras e, com isso, sua destinação para a reforma agrária.

Para facilitar o entendimento, deixamos ao final do texto o caminho para quem quiser ler na íntegra o artigo.

Por João Vitor Barison

Na edição desta segunda-feira, 31 de agosto, Denis Lerrer Rosenfield expôs seu pensamento acerca da atualização dos índices de produtividade. (mais…)

Do blog do Luis Nassif

A esta altura, até pela leitura da Época – que pertence ao mesmo grupo – O Globo sabe que a tal reunião entre Lina e Dilma não existiu. A Folha sabe, o Estadão sabe.

Mas a intenção do jogo não era chegar à verdade. Era mentir sistematicamente até que a pecha de mentirosa pegasse na vítima. Em plena segunda, com a trama desvendada, prosseguem mentindo. (mais…)

Armando Corbani, um dos candidatos a reitor e pessoa de confiança da inábil Suely Vilela, concedeu entrevista ao Estadão (09/08). Nela fica nítido a proposta de continuidade com a atual gestão. Na verdade, fica claro que qualquer dos cinco candidatos não promoverá alterações significativas. (mais…)

A falta de espaço público para o debate político de fato dá lugar cada dia mais à legitimação do oposto: quanto mais superficial e facilmente penetrável pelas ondas da TV ou páginas do jornal, melhor.

É dessa maneira que jornais de grande circulação aparentam duvidar da inteligência de seus leitores ao apresentar editoriais dignos de tristeza, mas infelizmente, como são de grande circulação, não devem passar sem a devida crítica atenta. A começar por usarem termos como “na realidade” para embasarem o que não necessariamente (e não é mesmo) real, mas sim a verdade por eles construída e amplamente divulgada.

Em O Estado de S. Paulo de 28 de junho (“O fracasso da greve na USP“), o editorial atacou de repórter e apresentou dados como se o autor estivesse ido a campo investigar (mais…)