As aulas vão recomeçar e a eleição para reitor dá o tom do debate para o segundo semestre. (mais…)

Em geral as nossas normas e o estatuto não são conhecidos, senão que constituem um segredo do pequeno grupo de burocratas que nos administra. Embora estejamos convencidos de que este antigo estatuto é cumprido com exatidão, é extremamente mortificante ver-se regido por normas que não se conhecem. Não penso aqui nas diversas possibilidades de interpretação nem nas desvantagens que se derivam de que apenas algumas pessoas – e não toda comunidade universitária – possam participar da interpretação. Talvez estas desvantagens não sejam tão grandes. (mais…)

Há muito tempo atrás um senhor chamado Armando Salles disse: “De São Paulo não sairão mais guerras civis anárquicas, e sim ‘uma revolução intelectual e científica’ suscetível de mudar as concepções econômicas e sociais dos brasileiros“, deste então rola o Conselho Universitário, que manda neste local (mais…)

Passaremos a publicar neste blog os desmandos de Suely Vilela desde que é reitora, começando com os mais recentes. Este, que abre a série, trata de sua “memória fragilizada”, num súbito e raro caso de esquecimento. (mais…)

Funcionários e professores terminam a greve. Assembléia de estudandes decide neste momento pelo continuidade ou fim da greve.

É necessário agora fazer balanço do movimento. Breve publicaremos um trazendo nosso ponto de vista. Porém, a luta não terminou, nunca termina. Neste mês haverá debates e atividades em torno das questões suscitadas nesta greve.

Segue em pauta o “Fora Suely”, por todas as razões que vimos discutindo neste blog, que vão muito além da Suely Vilela. Claro, que a  evidente ma-fé e violência que caracterizam sua gestão já são motivo mais do que o bastante. Também segue na pauta a democratização da Universidade, o fim da Univesp na forma como está, a revogação pelo CO da resolução que autoriza a entrada da PM no campus e pelo fim da repressão a funcionários, estudantes e professores.

O C.U. (Conselho Universitário) que estava marcado para 30/06 deste mês, foi cancelado.

Durante a Ocupação de 2007, o C.U. (Conselho Universitário) não se manifestou uma única vez sobre os acontecimentos que duraram 50 dias e mergulharam a USP numa grave crise. Novamente, em momento delicado, o C.U. (Conselho Universitário) omite-se. Omissão oportuna e sabuja. (mais…)