O PSDB conta com apoio, cumplicidade e, às vezes, o silêncio da “grande” imprensa, em muitos casos são sócios. Não por acaso a recondução, pelo governador Zé Pedágio, de Celso Lafer (ex-ministro de FHC e patrocinador de João Grandino 4Rodas), Horácio Lafer Piva e Yoshiaki Nakano – todos tucanos da mais alta plumagem – para um mandato de mais seis anos no Conselho Superior da Fundação de Amparo à Pesquisa de São Paulo (FAPESP), não foi considerado pela dita “grande” imprensa como aparelhamento do órgão. Fosse qualquer outro governo um milímetro à esquerda, já seria acusado de aparelhamento pelos meios hegemônicos de comunicação. Ou seja, PSDB e Zé Pedágio podem, e ninguém mais.

A FAPESP cada vez mais investe prioritariamente em pesquisa aplicada, não porque esta seja melhor que a básica, mas porque ela está colonizada por uma ideia privatista da coisa pública, assim, não é de espantar que Celso Lafer, Horácio Lafer Piva e Yoshiaki Nakano permaneçam por mais seis anos à frente da instituição.

Piquete ou  lockout?

Piquete ou lockout?

Até pouco tempo atrás, João Grandino Rodas era tido como um obscuro professor de direito internacional, completamente desconhecido entre os alunos que ainda não tivessem atravessado o quarto ano da graduação e bastante inexpressivo do ponto de vista político na Faculdade de Direito, ainda que com um currículo extenso, sobretudo (mais…)