José Serra


Folha, drogas, mentiras & dossiês

por Saul Leblon (publicado originalmente no site Carta maior)

O resumo-malabarista dos acontecimentos não é assinado, o que desde já sugere um produto distinto da reportagem e mais próximo de uma alta “costura’”política destinada a salvar as aparências perante leitores e eleitores depois do fiasco da operação-dossiê, que consistia em desqualificar denuncias graves –alucinadamente sempre omitidas – com o carimbo antecipado de conspiração petista. O que parece ter dado errado nesse exercício tantas vezes bem sucedido é que, primeiro, as informações negadas pelos jornalões vazaram e circulam livremente na Internet (leiahttp://www.conversaafiada.com.br/]; segundo, e mais complicado, a origem guarda credibilidade distinta dos dossiês eleitorais na medida em que se apóia em investigação minuciosa, ancorada em documentações muitas vezes chanceladas pela Justiça. (mais…)

Anúncios

Governo de SP volta atrás: professor que não fez prova poderá dar aulas

O Secretário de Educação de São Paulo, o tucano Paulo Renato, confirmou hoje a notícia publicada pelo, também tucano, jornal Folha de São Paulo. O governo do Estado irá voltar a contratar como professor temporário quem não fez o concurso público do final do ano passado.

Não há melhor maneira de analisar a situação do que citando o velho jargão “seria cômico se não fosse trágico”.

Relembrando. Ano passado, usando o pretexto de selecionar apenas profissionais bem qualificados para o exercício do magistério, o governador José Serra instituiu um concurso público para seleção de professores temporários. O projeto foi alvo de várias críticas. (mais…)

Uma audiência pública aguardava a então reitora da USP, Suely Vilela, que não veio ou mandou representante. Os estudantes caminharam até a reitoria e lá encontraram as portas fechadas à qualquer diálogo. Reivindicando, entre outras tantas pautas engasgadas, a revogação dos decretos do governador que extinguiam a autonomia universitária e criavam novos absurdos, atravessaram o umbral e deram início aos 51 dias da Ocupação da Reitoria da USP, acontecimento que ressoou pelo Brasil e lançou um grito de alerta: alguma coisa estava mesmo fora da ordem.

Um porque para recordar o 3 de maio (mais…)

Amanhã, depois de um mês de silêncio, a greve dos professores aparecerá na mídia

Hoje o PSDB, o PIG e a nojenta elite paulista mais uma vez calou os professores e avançou na destruição da educação pública

por Chico Cabral

Eles conseguiram!

Depois de reprimir duramente o magistério em greve. Depois de mentirem e assediarem moralmente professores que aderiam ao movimento. Depois de barrar ônibus nas estradas. Depois de demitir professores da categoria “O” por faltas(greve), de cortar bônus e cortar salário de todos os professores grevistas. Depois do silencio ensurdercedor do governo e da imprensa… eles conseguiram! (mais…)

Infiltração e repressão: Serra aplica cartilha de Yeda

Por Marco Weissheimer, do RS Urgente e Carta Maior

O governo José Serra (PSDB) adotou as mesmas táticas policiais utilizadas pela também tucana Yeda Crusius no Rio Grande do Sul. Integram essas táticas, entre outras, duas medidas básicas: reprimir violentamente protestos e manifestações de ruas e infiltrar policiais à paisana nestes protestos e manifestações (mais…)

PARALISAÇÃO E ATO NO PORTÃO DA USP AMANHÃ, 30/3 Os funcionários da USP, indignados com a quebra da isonomia salarial entre funcionários e docentes das 3 universidades estaduais paulistas (USP, Unesp e Unicamp) decidiram paralisar o trabalho amanhã, 30, fazer uma concentração às 10 horas no Prédio da História e passeata até o portão principal da USP rumo à greve por tempo indeterminado (decisão aprovada por unanimidade em Assembleia). A quebra da isonomia se deu quando o Cruesp (Conselho de Reitores das 3 universidades estaduais paulistas) concedeu um reajuste de 6% aos professores da USP, Unesp e Unicamp (antes da data-base). Relembramos, que nos últimos anos, o Cruesp se negou seguidamente a atender nossas reivindicações, sempre remetendo à necessidade de preservar a isonomia nas universidades. Esperamos que não se repitam os atos de violência policial ocorridos no ano passado, quando fizemos um ato no portão principal.

Sintusp (Sindicato dos Trabalhadores da USP)

Jornalista da Folha recebeu mais de 3,7mi para bajular demotucanos

Do blog CloacaNews

O baba-ovo profissional Gilberto Dimenstein, o Gibinha, membro do Conselho Editorial da organização mafiomidiática Folha de S. Paulo, é também o dono de uma certa Associação Cidade Escola Aprendiz, empreendimento supostamente dedicado a “criar e articular oportunidades que fortaleçam a educação integral de crianças e jovens por meio da utilização de tecnologias sociais inovadoras”. (mais…)

Próxima Página »