Isonomia de salário não é isonomia de percentual de aumento. Embora isso seja óbvio, alguns professores uspianos, durante a greve dos funcionários, preferiram fazer de conta que não era disso que se tratava parte das reivindicações dos trabalhadores da Universidade de São Paulo, e, de maneira muito hipócrita, aderiram ao discurso que afirmava quererem os funcionários igualar seus salários aos dos docentes, ou que já tinham um salário alto. Quando não aderiram, omitiram-se diante de.
Nisso há preconceito, mesquinharia e, claro, o já mencionado cinismo.
Anúncios