Por Chico Cabral

J.G Rodas mais do que o candidato do Serra é o candidato do PIG*. Desde que assumiu tem recebido mais atenção da imprensa que campeão de big brother em revista de fofoca.

Desde que foi nomeado reitor, Rodas tem obtido um enorme espaço dos meios de comunicação. No estado já públicou 2 artigos e concedeu 3 entrevistas(sendo uma para o estadão.edu), na Folha publicou mais 2 artigos e 2 entrevistas, além disso concedeu mais 10 entrevistas sendo elas: uma à Rádio CBN, três à Rádio Bandeirantes, uma ao portal R7, duas à Rede Vida, duas entrevistas à Globo, uma à Rádio USP, uma ao provocações e ontem foi ao programa Roda Viva.

Além de possuir contatos nos grandes meios de comunicação a competente assessoria de imprensa do Reitor usa também o poder da reitoria para fazer reverberar suas opiniões. Daí vem o espaço na Rádio USP e o espaço na TV Cultura. Como bem lembrou Antônio Abujamra, na entrevista com o reitor em seu programa, como reitor da USP 4Rodas passou a ser membro do conselho curador da Fundação Padre Anchieta(TV Cultura), certamente por isso que conseguiu espaço no programa Roda Viva. Não apenas conseguiu espaço como enfrentou uma equipe seleta de entrevistadores dentre os quais não havia um único que não concordava com suas idéias.

Os entrevistadores eram Gilberto Dimenstein(integrante do conselho editorial do jornal Folha de São Paulo),  Mônica Teixeira(Coordenadora geral da TV – UNIVESP), Márcio Sérgio Cortella(professor titular em educação da PUC-SP) e Flávia Tavares (repórter especial do jornal o Estado de São Paulo). Não havendo na mesa um único membro da comunidade universitária ou qualquer tipo de voz que questionasse o discurso da reitoria.

O programa foi uma repetição das entrevistas que Rodas tem dado a, praticamente, estes mesmos senhores desde que assumiu. O assunto foi o de sempre: greves, privatização, ensino a distância e muito trololó. Como não havia qualquer entrevistador membro da comunidade universitária até perguntas como “porque os funcionários são contra o ensino a distância” foram respondidas pelo reitor.

Rodas, sempre fiel a  seu estilo, foi bastante ladino evitando respostas diretas sobre assuntos polêmicos como PM no campus, ensino a distância, democratização da universidade . Mas uma de suas opiniões mais claras me parece bastante assustadora.

Quando questionado pelo “jornalista” Gilberto Dimeinstein sobre a justeza de que fossem cobradas mensalidades na universidade de São Paulo o reitor se colocou claramente a favor, dizendo que deveríamos romper com este “tabu” no Brasil e avançar neste sentido. Segundo o atual reitor este é o caminho, mas não estamos em uma boa hora para tocar neste assunto.

Talvez o que falte aos dois, que infelizmente tem diversos estudos na área de educação, é a compreensão de que as mensalidades podem até ser um (torta) solução moral (termo que inclusive Dimenstein utilizou) para o problema da elitização da universidade,  no entanto pro povo excluído da USP não representa nenhum tipo de avanço.

* o PiG: é o Partido da Imprensa Golpista. Em nenhuma democracia séria do mundo jornais conservadores, de baixa qualidade técnica e até sensacionalistas, e uma única rede de televisão têm a importância que têm no Brasil. Eles se transformaram num partido político: o PiG

Anúncios