por Chico Cabral

Talvez tenha uma assembleia dos estudantes da USP amanhã. É o que dizem por aí…

Sinceramente eu não tenho certeza de nada.

A última assembléia dos estudantes estava marcada para quarta-feira passada, dia 9, inicialmente na História, depois disseram que foi na Química… no final cada um chamou pra um lugar e terminou por não ter assembléia nenhuma. No final, decidiu-se por convocar uma assembléia para o dia seguinte, quinta-feira, 10/06, às 18horas.

Na quinta, o DCE da USP compareceu e disse que não havia quórum (exigência cuja resolução fora votada em congresso da semana anterior) e, portanto, não haveria assembléia. Ainda assim alguns setores do movimento mantiveram uma assembléia com os gatos pingados que ali estavam.  Discutiram, polemizaram e deliberaram de passar nas salas de aula da Faculdade de Letras. E assim foram… Gritaram pelos corredores etc. etc. etc.

Esse é o relato do que compreendi das últimas assembleias. Se as coisas estão confusas a tal ponto, até pra mim que participo ativamente do movimento, que dirá pros outros? Impressiona que, enquanto os funcionários estão em uma greve sofrendo repressão, mil funcionários tiveram o ponto cortado, e mantendo a reitoria da universidade ocupada em busca de seu salário, os estudantes não consigam sequer fazer uma assembléia geral.

Recentemente houve congresso dos estudantes. Nele votou-se um quórum mínimo para as assembleias gerais, de 375 estudantes. O fato gerou enorme polêmica, alguns disseram que isso poderia ser uma arma do DCE para evitar que ocorressem assembleias, fazendo de tudo para boicotá-las e dirigir o movimento estudantil via CCA, a gestão “Transformar o tédio em melodia” contra-argumentava que o quórum atual (que nunca era respeitado pois estava completamente anacrônico) era muito maior e que o novo quórum proposto garantiria que importantes decisões não fossem tomadas por uma pequena parcela do movimento em momentos onde houvesse esvaziamento.

Acho que os fatos mostram que: ou há uma dificuldade imensa de divulgação e organização que é impossível de entender, ou existe de fato uma tentativa de evitar que os estudantes realizem assembleias, o que neste momento significa isolar completamente os funcionários da USP, além de deixar os estudantes que poderiam prestar um apoio efetivo aos funcionários completamente desordenados em meio a um setor vanguardista ensandecido.

De qualquer jeito, dizem que nesta quarta-feira, às 18horas, em frente à reitoria haverá assembléia… Dizem, o DCE não diz nada e deixa o movimento permanecer desorganizado e desmoralizado.

E enquanto isso os trabalhadores da Universidade seguem sozinhos, lutando por seu direito constitucional, mantendo a reitoria da USP ocupada.

Anúncios