Os funcionários da USP decidem entrar em greve a partir do dia 05 de maio.

Veja nota do próprio Sindicato dos Trabalhadores da USP (SINTUSP) sobre a assembléia que decidiu pela greve, bem como as razões que os levam a paralisar as atividades a partir do dia 05 deste mês.

A P R O V A D A
G R E V E
POR TEMPO INDETERMINADO

A grande assembleia realizada ontem[29/04], na História, aprovou a greve por tempo indeterminado a partir do dia 5 de maio, 4ª feira.

FOI UMA DECISÃO PRATICAMENTE UNÂNIME!

As inúmeras falas dos funcionários, das mais variadas unidades, expressaram a revolta contra as atitudes do Cruesp e as posturas do reitor Rodas, quando quebraram a isonomia entre funcionários e professores, principalmente porque essa isonomia foi sempre defendida pelo próprio Cruesp.

A concessão de 6% de reajuste, apenas para professores da USP,
Unesp e Unicamp, foi um grande desrespeito para todos os funcionários.

Foram várias solicitações de reunião feitas pelo Fórum das Seis ao Cruesp. O Fórum das Seis solicitava o agendamento de 2 reuniões primordiais, a 1ª reunião seria para tratar da extensão aos funcionários dos 6%, concedidos apenas aos professores; a 2ª reunião para discutir a pauta unificada, cuja reivindicação salarial é de 16% + 200,00 fixo.

Entretanto, usando de uma tática esperta, para não dizer safada, o Cruesp agendou a reunião para o dia 11 de maio – bem próximo ao fechamento da folha de pagamento – e sabemos também que o reitor Herman, da Unesp, irá dia 12 para o exterior, o que deixa claro a intenção do Cruesp: anunciar sua posição na reunião do dia 11 e dar por encerrado o assunto.

Nossa assembleia também expressou total indignação à forma inadmissível com que o reitor Rodas tem tratado os trabalhadores do prédio da Antiga Reitoria, pretendendo evacuar o prédio, acabando com a gráfica e, segundo os funcionários, mandando a maioria dos trabalhadores para o prédio do antigo DETRAN, no Ibirapuera (esse prédio foi abandonado pelo DETRAN e doado ao MAC no ano passado).

No 1º dia de greve, os trabalhadores do prédio da Antiga Reitoria, onde ficam 5 unidades, farão uma reunião geral para discutir uma resposta para essa situação.

No dia da negociação entre Fórum das Seis e Cruesp, que ocorrerá na própria sede do Cruesp – Rua Itapeva, 26 – Bela Vista, próximo à 9 de Julho, haverá um ATO CONJUNTO (funcionários, professores e estudantes das 3 universidades – USP, Unesp e Unicamp), às 14 horas, convocado pelo Fórum das Seis.

Anúncios