Faculdade de Educação da USP

Eleições na FEUSP: aula de democracia

por Chico Cabral

A Faculdade de Educação da USP está em processo de eleição para diretor. O Processo de consulta à comunidade – no qual podem votar estudantes (pedagogia e licenciaturas), funcionários e professores– ocorrerá hoje (06/04) e amanhã (07/04), durante o período de aula. E este ano quem decide é a comunidade!!

Os candidatos são: Prof. Leandro de Lajonquière ( EDF-Departamento de Filosofia da Educação e Ciências da Educação),  Prof. Manuel Oriosvaldo de Moura ( EDM-Departamento de Metodologia do Ensino e Educação Comparada) e Profa. Lisete Regina Gomes Arelaro ( EDA-Departamento de administração escolar e Economia da Educação).

Não sei se todos os que leem este post sabem, mas na USP as eleições de diretorias de unidades são feitas de forma muito restrita e antidemocrática, através de uma lista tríplice encaminhada à reitoria pelas unidades. Os votantes para composição desta lista nunca vão além de professores titulares, congregação, membros de comissões e uma parca representação de estudantes (os RDs) e funcionários, representando sempre – com algumas diferenças de um lugar para outro – um número muito pequeno dos que trabalham e dos que estudam na unidade. É importante lembrar que apesar de algumas unidades terem o costume de realizar uma consulta à comunidade, na qual todos votam, a consulta não é obrigatória e seu alcance é limitado e não vai além do simbólico, visto que na prática votam apenas os estatutários.

A surpresa é que nos debates que ocorreram durante a semana retrasada, todos os candidatos assumiram o compromisso público de respeitar a consulta à comunidade, afirmando que abrirão mão do cargo caso não sejam escolhidos no voto democrático e paritário expresso pela consulta. O que representa, sem dúvida alguma, um grande avanço na luta pela democratização da universidade, abrindo, inclusive, precedente para eleições onde o mesmo procedimento seja adotado em outras unidades.

O interessante é que o processo democrático colocado abre espaço para um programa como o da Profa. Lisete Arelaro, que defende posições como: eleição direta e paritária para reitor, diretor e chefes de departamento; valorização da representação sindical e das entidades estudantis como expressão democrática legítima de participação; luta junto à Assembléia Legislativa e à Reitoria pela ampliação das verbas destinadas à educação; orçamento participativo; defesa da formação presencial de professores; defesa o financiamento público da universidade e consequente alteração no funcionamento da fundação privada FAFE. Um programa que certamente não angariariam votos no eleitorado restrito previsto no estatuto de universidade, mas que no voto paritário tem conquistado bastante apoio.

Resta saber agora o que fará 4Rodas. A decisão final é dele, mas na congregação da unidade falou-se até que caso a eleição seja desrespeitada pelo reitor todos renunciariam e a unidade ficaria sem diretor. Agora é votar, torcer e aguardar.

Para saber mais sobre o processo e conhecer a proposta de todos os candidatos acesse:

http://www.cappf.org.br/tiki-index.php?page=eleiçõesdireção2010

Anúncios