Abaixo, publicamos carta de estudante enviada ao blog do Luis Nassif, onde fala sobre o abandono da USP Leste.

A USP da Zona Leste

Por estudante  (Publicado originalmente no blog do Luis Nassif)

Olá Nassif, tudo bem?

Seria muito interessante a divulgação do que anda acontecendo na Escola de Artes, Ciências e Humanidades da USP. Essa unidade possui 10 diferentes cursos, começou a funcionar em 2005 e está localizada na Zona Leste de SP.

A EACH, nesse curto período de tempo, sempre conviveu com problemas de recursos humanos. A unidade nunca teve a quantidade de funcionários necessária para o atendimento dos seus mais de 4 mil alunos. Em relação aos professores o problema de recursos humanos se repete.

Além disso, já há também um problema de superlotação das salas de aula. Salas que, pelo Regimento da USP comportariam até 66 alunos chegam a comportar mais de 100 em determinadas disciplinas, comprometendo o bom andamento das aulas e diminuindo o aproveitamento das disciplinas devido à superlotação.

Nesse exato momento que escrevo essa nota posso te afirmar que o Setor de Graduação, responsável pelas matrículas dos 4 mil alunos da unidade está atuando com apenas três funcionários, fato que quase comprometeu o reinício das aulas nesse semestre.

Para complicar, alguns cursos estão com problemas graves de falta de professores, o que comprometeu a disponibilização de disciplinas optativas aos alunos, que correm o risco de não se formarem no tempo previsto devido ao não-oferecimento de disciplinas.

Por fim, como afirmei mais acima, esse não é um problema novo na unidade, mas que vem se agravando ano a ano e que atingiu dimensões bastante graves esse ano. Apesar disso, a antiga reitora Suely Vilela preferiu concentrar seus esforços na expansão do campus da USP em Ribeirão Preto, praticamente esquecendo-se da unidade da USP na Zona Leste da Capital. O atual reitor, Rodas, afirma que possui disposição para conversar sobre o assunto mas, até agora, não tomou nenhuma atitude mais objetiva em relação ao problema. O governador do Estado, como sempre, não se pronuncia.

Gostaria que você pudesse divulgar esse problema, dado que essa situação só tende a piorar nos próximos anos.

Anúncios