Face os acontecimentos de hoje (adiamento do segundo turno das eleições para reitor), representantes discentes da pós-graduação defendem (em nota pública que publicamos abaixo), o cancelamento das eleições para reavaliação do processo eleitoral, uma vez que o ambiente criado pela Reitoria favorece um processo mais antidemocrático do que já é.

Nota Pública

São Paulo, 10 de novembro de 2009

Em virtude da não realização do segundo turno da eleição para reitor conforme previsto para o dia de hoje no prédio da reitoria da USP, impôs-se a necessidade de os representantes discentes de pós-graduação junto aos Conselhos Centrais e Conselho Universitário deliberarem imediatamente acerca do processo eleitoral ainda em curso, devido à impossibilidade de convocação da assembléia em tempo hábil.

Recordamos que houve consulta direta aos pós-graduandos que indicou voto no candidato Francisco Miraglia e que assembléia geral dos pós-graduandos encaminhou que os representantes discentes da pós deveriam votar no vencedor da consulta, uma vez que esta candidatura se comprometia com a democratização da estrutura de poder.

Contudo, nós, representantes discentes da pós-graduação, nos vemos impedidos de participar de um processo eleitoral que se realizará sob contingências, tais como escolta e revista, e que impossibilitará manifestações públicas devido ao sigilo de loca e provável reforço de aparato repressivo.

Cabe, neste momento, conclamar a universidade e a comissão eleitoral, em particular, a cancelar o pleito e reavaliar o processo de eleição.

Felipe Pereira Loureiro

Marcelo Schneider

Pedro Silva Barros

Walter de Andrade

Anúncios